Maranhão oferece Curso de Controle de Poluição Sonora

A Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Naturais promoveu, entre os dias 17 e 21 de outubro, o Curso de controle de Poluição Sonora.

O grande objetivo do curso, que teve carga horária de 40 horas, foi capacitar os técnicos para a realização do controle de poluição sonora, além de avaliação ambiental.

Por se tratar de um Estado que sofre diversas reclamações relacionadas a ruídos de forma geral, o curso deverá auxiliar os técnicos a entenderem melhor quais técnicas para realizar abordagens, fazer a fiscalização, entre outros, pois atualmente existem poucos profissionais treinados da maneira correta para este tipo de cargo.

Lembrando que a poluição sonora é a causa de boa parte dos problemas entre vizinhanças, sem contar os malefícios que são capazes de causar à saúde, como estresse, insônia e distúrbios neurológicos. Sendo assim, manter um ambiente com o mínimo de ruído possível é de extrema importância tanto para nossa saúde física quanto mental.

Moradora consegue ação contra Igreja por excesso de barulho

Na região de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, uma moradora conseguiu uma indenização de 15 mil reais pagos pela Assembleia de Deus Missões, após uma batalha judicial travada por ambos.

Segundo a moradora, os cultos aconteciam diariamente e muitas vezes as atividades da igreja duravam mais de seis horas seguidas e ultrapassavam as 22h. Ela tentou por diversas vezes negociar com o pastor e outros responsáveis, mas sem sucesso.

Tamanha confusão gerou até mesmo vários boletins de ocorrência, mas a igreja alegou que os barulhos seriam apenas de duas caixas de som pequeno e um violão.

Durante a decisão judicial a igreja não mostrou nenhuma defesa perante o caso, o que fez com que a justiça declarasse que os ruídos ultrapassavam o número permitido por lei, de 55 decibels.

O caso foi concluído com a justiça reconhecendo a moradora como vítima de danos morais, por ter seu sossego e qualidade de vida lesados.