6 coisas do dia a dia que podem comprometer sua audição

Ainda na juventude, alguns hábitos e circunstâncias do dia a dia podem comprometer sua audição com o avanço da idade.

Por exemplo: você trata corretamente daquelas dores de ouvido? Usa muito as hastes flexíveis? Trabalha em locais barulhentos, mas não toma providências?

Então fique atento: você pode se prejudicar mesmo com o que parece inofensivo.

Os cuidados com o sistema auditivo devem ser redobrados, pois, ao contrário de muitos outros, ele não se regenera com o tempo. Os danos são cumulativos. Ou seja, é preciso cuidar bem da audição desde pequeno, viu?

Para lhe ajudar nessa tarefa, listamos algumas dicas e avisos da fonoaudióloga Dra. Andréa Varalta Abrahão, mineira fundadora da empresa Direito de Ouvir. São bem simples e podem garantir uma vida mais saudável.

  • Estes são alguns pontos de atenção:

DÊ FÉRIAS AOS FONES DE OUVIDO

Calma, os fones podem ser usados. Mas tudo em excesso faz mal. O recomendado é não passar de 8h diárias de uso. Afinal, os ouvidos também precisam de descanso.

Outro fator é o volume. Deixe-o em volume baixo. Sons frequentes e acima de 80dB podem causar sérios danos ao seu sistema auditivo.

AFASTE O BARULHO

Se você trabalha ou mora em ambientes ruidosos deve ficar atento. Muitos locais não estão preparados para isolar ruídos elevados. O que pode causar diversos problemas para o morador ou trabalhador: desde estresse e insônia até, em casos mais severos, como surdez e depressão.

Usar equipamentos de proteção individual como protetores auditivos corretamente e instalar janelas acústicas podem resolver grande parte do problema.

 

TRATE DAS OTITES DAS CRIANÇAS. E AS SUAS TAMBÉM.

Otite é a infecção no ouvido, muito comum em crianças. Um jeito de preveni-las nos pequenos é manter as vias áreas sempre limpas, pois é a partir daí que as secreções passam para o ouvido, causando a doença.

Nos adultos, as causas mais frequentes estão ligadas ao contato com a água e o uso de hastes flexíveis na parte interna (os famosos cotonetes). “Durante uma prática esportiva, como a natação, o ideal é proteger os ouvidos com tampões e secar a parte externa bem, com a toalha, ao término da atividade”, indica Andréa.

UMIDIFICAR O AR PODE AJUDAR A PREVENIR INFECÇÕES.

O clima seco é outro fator que contribui para as otites. Ele agrava os problemas respiratórios e, com o acúmulo de secreções nas vias aéreas, pode aumentar a proliferação de bactérias no canal auditivo. Usar um umidificador melhora o ar seco.

DEIXE A CERA EM PAZ

Ela é uma barreira natural contra micro-organismos. Não é recomendável limpá-la sempre. Isso pode deixar o ouvido exposto. Caso você queira tirar o excesso, evite utilizar objetos pontiagudos na parte interna, limite-se apenas à parte externa e use uma toalha ou pano macio.

FIQUE SEMPRE DE OLHOS ABERTOS. OU MELHOR, DE OUVIDOS.

atenua-som-6-coisas-do-dia-a-dia-que-podem-comprometer-sua-audicao (1)

A recomendação da fonoaudióloga é incluir o teste de audiometria no check-up anual, principalmente se você faz parte de grupos mais expostos aos ruídos – seja pelo trabalho ou lazer. Andréa ressalta que “o exame favorece o prognóstico. Quanto mais cedo diagnosticado o problema, maiores são chances de proteger e tratar a audição e de o paciente ter suas interações do cotidiano e convívio social inalterados”.

Agora você já sabe como se cuidar bem! Repasse aos seus filhos e familiares, porque a prevenção é o primeiro passo para a saúde auditiva duradoura.

Caso precise de ajuda com as situações que você não pode controlar, como barulhos de avenidas movimentadas ou obras próximas do escritório, entre em contato! Ficaremos felizes em ajudar.

Vizinho barulhento pode pagar seu isolamento acústico

Em algumas ocasiões, o diálogo com o vizinho barulhento parece inútil. São muitas desculpas, como: “estou dentro da minha casa e não sou obrigado a abaixar o volume da minha televisão”, ou ainda “você também faz barulho e eu não reclamo”.

E aí? Como fica a sua paz?

Em casos em que a solução parece distante, você pode até mesmo acionar a Justiça – tanto para que ele cesse o ruído, quanto para que pague pelos custos do isolamento acústico.

Hamilton Quirino, advogado especialista na área imobiliária, explica que “a proteção do direito ao sossego do vizinho abrange qualquer tipo de barulho que incomode continuamente, independente do volume dos decibéis”, como pontua a Lei 1.277 do Código Civil.

Se a conversa civilizada não funcionar, para entrar com uma ação é preciso coletar provas!

No caso, notificações contra o vizinho – vindas do síndico -, filmagens com áudio e, se necessário, um laudo particular, produzido por um profissional. O juiz, acreditando que a ação é justificada, pode exigir que ele arque com os custos do isolamento acústico recomendado pelos especialistas.

Agora, se não for um vizinho de parede, há uma solução que dá muito menos dor de cabeça: instale nossa janela antirruído e deixe o barulho na casa dele.

Quer conferir o que podemos oferecer?

CLIQUE AQUI