Acessório em desenvolvimento pode te livrar do ronco de seu companheiro

Janelas antirruído, sistema de isolamento acústico… existem diversas formas extremamente eficientes para se livrar do barulho externo. Mas e quando o incômodo vem do ambiente interno, como do outro lado da cama, por exemplo? Isso pode estar perto de ter uma solução.

Chamado de “QuietOnSleep”, um acessório criado por ex-funcionários da Nokia conseguiu levantar fundos para seu desenvolvimento e está muito perto de chegar ao mercado. Trata-se de um dispositivo com aparência semelhante a um fone de ouvido intra-auricular. Ativado, um microfone interno capta o som para um componente eletrônico, que faz a análise do ruído e impede a transmissão para o sistema auditivo do usuário. Seu foco são os ruídos de baixa frequência, até 500 Hz, que não são bloqueados por abafadores convencionais.

A previsão é de que o acessório custe US$149, podendo ser importado no Brasil a partir de outubro deste ano. Vale frisar, no entanto, que ele não possui cabeamento ou bluetooth, o que significa que não poderá ser utilizado para reproduzir música ou qualquer outro arquivo de áudio.

Fonte: Techtudo

Uma polegada quadrada de silêncio

Há uma pequena área nos EUA chamada de “One square inch of silence” (tradução: uma polegada quadrada de silêncio). Considerada o local mais silencioso dos EUA, essa polegada quadrada é ocupada por uma pedra vermelha, situada nas proximidades de Forks, no estado de Washington.
O “silêncio” do local não significa que há silêncio total, e sim que é um local livre de ruídos humanos. O monitoramento do som é feito pelo projeto de pesquisa independente que dá nome à área. O objetivo principal do projeto é destacar a diferença entre sons naturais e sons decorrentes das atividades humanas, bem como preservar esse “santuário do silêncio”.

Preservação

Quando um ruído humano é detectado no local, os pesquisadores procuram descobrir a fonte do ruído. Um comunicado é enviado aos agentes causadores, informando sobre a quebra do silêncio, esperando de que parem com a atividade ruidosa voluntariamente. O curioso é que o único ruído humano ouvido no local é produzido ilegalmente, e por uma agência federal. Desde 2012 a Marinha dos Estados Unidos tem realizado vôos em missões de treino sobre a área protegida. Apesar dos protestos contrários, eles mantém as atividades.

Mais informações podem ser obtidas na página do projeto, em inglês: http://onesquareinch.org/

Aplicativo promete melhorar o sono com áudios

Um aplicativo, Sleep Restore App, disponível para Android e iOS, promete melhorar o sono de seus usuários por meio de playlists de áudio.

O aplicativo baseia-se na teoria de EMDR, uma técnica de reprocessamento de memórias, a fim de eliminar a insônia causada por stress ao desativar preocupações e tensões físicas que inibem o sono.

EMDR e estímulos bilaterais

A sigla EMDR vem do inglês e significa “Dessensibilização e Reprocessamento por Movimentos Oculares”. Consiste numa técnica da neuropsicologia que utiliza o movimento horizontal dos olhos para o reprocessamento de memórias traumáticas, desvinculando o evento de sensações e elementos presentes no cenário. Os estímulos bilaterais surgiram como substitutos da movimentação ocular no cumprimento da mesma função.

O aplicativo apresenta uma série de áudios que realizam esses estímulos bilaterais, que durante o sono promovem a sincronização da atividade cortical na frequência Delta, relacionada ao sono profundo.

Qualidade de vida está diretamente relacionada à qualidade do sono. Alie métodos como os utilizados pelo aplicativo com o conforto acústico e tenha uma boa noite!

NASA planeja avião supersônico que não faz barulho

Imagine viajar a uma velocidade superior a 2 mil km/h: acredite, isso já foi possível. Na segunda metade do século XX, os céus foram tomados pelo Concorde, um avião supersônico de passageiros. Construído em parceria por ingleses e franceses, era operado pelas companhias British Airways e Air France e foi utilizado de 1969 a 2003. Era 2,04 vezes mais rápido que o som, atingindo uma velocidade de 2.179 km/h (um Boeing atual, por exemplo, voa a no máximo 912 km/h). Isso significava ir de Paris a Nova Iorque em cerca de três horas, cinco a menos do que um voo direto convencional.

Apesar de tão impressionante, o Concorde acabou caindo em ostracismo, especialmente pelo seu alto custo operacional e baixa capacidade de assentos, mas o sonho de um avião de passageiros supersônico não morreu com ele. Por isso, a NASA firmou em abril um acordo milionário com a Lockheed Martin para criar a sua versão e vai aproveitar para resolver um problema do antigo Concorde: o barulho.

Esse inconveniente era tamanho que inicialmente fez com que o Concorde fosse proibido de entrar no espaço aéreo dos EUA. Posteriormente, mesmo após a liberação para pousar no país, foi impedido de sobrevoar continentes. No caso do supersônico da NASA, porém, o fato de ser silencioso o permitiria voar sobre áreas civis.

O projeto é chamado de X-plane e consiste numa aeronave do tamanho de um jato comercial, com capacidade de voar a 1,6 mil km/h, e está previsto para ser colocado em condições de testes a partir de 2022. O barulho? Não deverá ser mais alto do que a porta do seu carro sendo fechada.

 

Fontes:

https://tecnologia.uol.com.br/noticias/redacao/2018/05/12/nasa-quer-criar-aviao-supersonico-silencioso-que-possa-voar-sobre-cidades.htm

https://super.abril.com.br/tecnologia/supersonico-comercial/

https://www.vix.com/pt/bbr/ciencia/3988/6-fatos-sobre-o-aviao-supersonico-concorde-e-sua-incrivel-velocidade