Posts

Prefeitura inicia jardins verticais na região do Minhocão

 

A Prefeitura de São Paulo já iniciou o preparativos para que a instalação de jardins verticais nos edifícios vizinhos ao Elevado Costa e Silva (Minhocão), região central de São Paulo. Jardins verticais são estruturas capazes de sustentar e manter vegetações sobre e paralelamente a superfícies verticais. Eles podem ser aplicados em qualquer superfície vertical, como muros, paredes e empenas cegas (paredes sem janelas).

Não há riscos de infiltração para os locais onde os jardins serão instalados e exigem pouca manutenção, já que o sistema de irrigação será automatizado e pode ser retirado posteriormente, sem que a superfície original seja danificada.

Além de melhorar a paisagem urbana, os jardins são capazes de contribuir na filtragem da poluição do ar, auxiliam no controle da umidade, no conforto térmico, tanto do edifício onde está instalado, quanto do seu entorno. As plantas auxiliam também realizam uma significativa barreira acústica.

Os recursos para a implantação dos jardins verticais e coberturas verdes virão da Secretaria do Verde e a escolha dos edifícios serão realizadas pela Câmara Técnica de Compensação Ambiental (CTCA).

Poderão se candidatar condomínios que possuam paredões sem janelas e que estejam localizadas a uma quadra do viário, os pedidos devem ser encaminhados para a sede da Secretaria Municipal do Verde e Meio Ambiente (SVMA), localizada na Rua do Paraíso, 387/389 – térreo, das 9h às 16h.

Atenua Som no Cubo Show em Salvador

-

A Atenua Som faz parte do projeto do “Cubo Show“, que até o dia 04 de outubro estará no Shopping da Bahia. O projeto acústico, realizado pela Audium, teve o desafio de fazer um imenso cubo de vidro, totalmente isolado acusticamente, onde mais de 60 atrações, entre músicos e personalidades, interagem com o público do shopping através de totens com headphones fixos e são realizadas gravações de programas de rádio e TV. Além disso, o público também tem a opção de ouvir o áudio via celular, acessando o site: www.cuboshow.com.br

“O projeto do Cubo Show permite uma experiência única de interação do público com a programação que estiver acontecendo. A ideia não é simular um show, mas fazer com que o publico se sinta como parte integrante daquilo que está acontecendo dentro do cubo, seja um ensaio, uma peça, um stand up ou uma entrevista”, explica Flávio Souza de Souza, criador do projeto e dono da Cidade da Música Entretenimento, empresa que lidera a ação.

Serão mais de 200 horas de conteúdo que o público de Salvador poderá acompanhar no 2º piso do Shopping da Bahia até o dia 4 de outubro.

Autoridades combatendo a poluição sonora em Roraima

-

A Secretaria Municipal de Gestão Ambiental (SMGA) e da Companhia Independente de Policiamento Ambiental (Cipa) de Roraima decretou luta contra a poluição sonora e apreendeu no último final de semana, quatro equipamentos de som, mais conhecidos como ‘paredões’.

A legislação municipal determina que o nível máximo de som ou ruídos produzidos por veículos automotores comuns (carros, motocicletas ou congêneres) seja até 85 db (decibéis). O limite para estabelecimentos comerciais é de 70 db das 19h às 22h, e de 55 db das 22h às 7h.

” – As multas variam de R$ 500 a R$ 10 mil. Mesmo após o pagamento, o proprietário não recupera o som. Caso ele não pague, o nome passa a fazer parte da dívida ativa do município” – informou o superintendente municipal do Meio Ambiente, Robson Rodrigues, explicando que o procedimento percorreu dez locais denunciados, entre eles postos de combustíveis, bares e casas de show denunciados.

Poluição sonora lidera ranking de reclamações do 156 em Boa Vista

Dados coletados no início de abril de 2015 pela Prefeitura de Boa Vista mostram que a poluição sonora na região perturba muita gente, sendo a maioria das ligações para a Central Telefônica 156 – aproximadamente cem chamadas são recebidas por dia através do serviço.

Série Barulhos Urbanos: Ruído excessivo atormenta os moradores das grandes cidades

Assista três episódios da série “Barulhos Urbanos” realizadas pela TV Record.

Barulhos Urbanos: Guarda de trânsito enfrenta sons acima do recomendado no dia a dia
Guarda de trânsito, mesmo com protetores, enfrenta barulhos altíssimos enquanto organiza o tráfego de veículos nas vias da cidade.

 

Barulhos Urbanos: Aeroviários sofrem consequências do trabalho na audição
Como o som da turbina de um avião, um aspirador de pó e a bateria de uma escola de samba podem trazer prejuízos irreparáveis à audição.

 

Barulhos Urbanos: Obras das Olimpíadas de 2016 tiram o sono dos vizinhos.
A paz das praias do Rio de Janeiro ganharam uma nova trilha sonora com a proximidade dos Jogos Olímpicos. Os vizinhos das construções convivem diariamente com barulhos incômodos das obras.

 

10º Prêmio Destaque Anavidro – Atenua Som concorre na categoria “vidros especiais”

-

A Atenua Som está concorrendo na categoria “Vidros Especiais” no 10º Prêmio Destaque Anavidro, que até o dia 15/06 recebe a votação de profissionais do setor vidreiro para indicarem as 90 empresas concorrentes em 15 categorias distintas.

A votação acontece no site www.premioanavidro.com.br, sendo que no dia 22/06/2015 serão divulgadas as três empresas finalistas de cada categoria.

Serão selecionados três finalistas de cada categoria, tendo como critério de classificação o número de votos obtidos. A ordem Ouro, Prata e Bronze será divulgada apenas na cerimônia de entrega dos troféus, a realizar-se no dia 01/08/2015 no Clube Paineiras do Morumby.

Você pode conferir o vídeo da 9ª edição da ANAVIDRO 2014 edição 2014, onde a Atenua Som ganhou bronze na categoria “vidros especiais”.

Paraíba combate à poluição sonora com projeto “Som Legal – Cidade Sossegada”

-

O projeto “Som Legal – Cidade Sossegada”, idealizado pelo Ministério Público da Paraíba em parceria com as Polícias Civil e Militar, pretende fiscalizar e combater a poluição sonora nos principais municípios paraibanos, começando pelo litoral norte do estado.

A polícia registrou durante o ano passado mais de 24 mil atendimentos de perturbação do sossego.

Andréa Bezerra, coordenadora do Centro de Apoio Operacional às Promotorias do Meio Ambiente, declarou que em sua primeira etapa, o projeto será focado com atendimento da Polícia Militar das ocorrências de poluição sonora. Mais de 60 policiais militares foram capacitados para realizar um atendimento padronizado na fiscalização e combate às infrações de poluição sonora.

Já em atividade, o projeto “Som Legal – Cidade Sossegada” retira a aparelhagem de som e encaminha para a delegacia as pessoas flagradas em situação de poluição sonora, onde será lavrado um termo circunstanciado de ocorrência e sairão com a data da audiência no Juizado Especial Criminal já marcada.

Legislação
A coordenadora do Caop do Meio Ambiente disse que as pessoas flagradas em situação de poluição sonora podem ser enquadradas em dois artigos da Lei de Contravenções Penais.

O primeiro é o artigo 42, que trata de perturbação do sossego, e não há necessidade de indicar uma vítima determinada para que o delito seja constatado, já que a vítima é a coletividade, todos ao redor sendo perturbados. Nesse caso, a pessoa pode ser condenada à prisão, de quinze dias a três meses, ou multa.

Já o enquadramento no artigo 65 é direcionado caso o barulho pertube a tranquilidade ou atrapalhe algum indivíduo, nesta situação, é necessário ter uma vítima específica identificada. A condenação nestes casos pode resultar em prisão de quinze dias a dois meses ou multa.

Etapa educativa
O estado da Paraíba informa que será implantada uma etapa de educação ambiental.

“Estaremos juntos com crianças e adolescentes, fazendo palestras nas escolas, para que eles se tornem multiplicadores da educação ambiental. Também vamos trabalhar junto a templos religiosos e empresas, por meio de termos de ajustamento de conduta, fazendo com estes se enquadrem aos limites sonoros permitidos, através de licenciamento ambiental”, disse a promotora de Justiça.

Carnaval: Exposição prolongada ao barulho dos trios elétricos pode prejudicar a audição

 

Especialistas na área de saúde alertam músicos, percussionistas e foliões do carnaval para os efeitos nocivos gerados pelo elevado barulho de aparelhagens de som nas festas e micaretas, podendo prejudicar a audição.

Segundo dados da Sociedade Brasileira de Otologia (SBO), é durante o carnaval que se verifica um aumento expressivo do número de casos de pessoas que apresentam problemas nos ouvidos, causados principalmente, pelos ruídos derivados de caixas de som super-potentes dos clubes e trios elétricos.

O ouvido humano suporta até 90 decibéis. A partir daí, já existe a possibilidade de lesões, muitas vezes irreversível, levando a perda auditiva. Um trio elétrico pode gerar ruídos entre 96 decibéis a 120 decibéis.

Médicos afirmam que um indivíduo não pode permanecer em um ambiente com atividade sonora de 85 decibéis de intensidade por mais de 8 horas. Esse tempo cai para 4 horas em lugares com 90 decibéis; 2 horas em locais com 95 decibéis; e 1 hora onde a intensidade supera 100 decibéis.

“-Nosso objetivo não é tentar convencer as pessoas para que não brinquem o carnaval, mas alertá-las para algumas coisas que podem parecer sem importância, como a altura do som, mas que podem acarretar conseqüências desastrosas para sua vida”, alerta o médico da SBO.