Posts

Portugal é o 4º país com maior poluição sonora da Europa

 

O Eurostat, gabinete de estatísticas da União Europeia (UE) publicou no site oficial informações sobre poluição sonora da Europa e a população de Portugal é o quarto país mais exposto aos ruídos – foram analisados em 28 pontos com cidades e comunidades sustentáveis, no âmbito dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável estipulados pela Comissão Europeia.

Durante a pesquisa que começou em 2017, 23,5% da população portuguesa afirmava estar exposta aos problemas de ruídos, perdendo apenas para Alemanha que registrou 26,1%, Holanda com 25,6% e Malta que recebeu o índice de reclamação de 24,9%.

Estónia, Croácia e Irlanda apresentaram valores iguais ou inferiores a 9%, bem abaixo da média comunitária da UE fixada nos 17,5%.

– Poluição Sonora: Índice de satisfação dos habitantes da UE

Perguntaram aos habitantes de 83 cidades europeias em 2015 :
“De um modo geral, por favor, diga-me se está bastante satisfeito, satisfeito, insatisfeito ou bastante insatisfeito com o nível de ruído na sua cidade?”

Na questão dos níveis de ruídos a pesquisa informa que a população indicou “Satisfeito” ou “Bastante Satisfeito” em 21 das 28 capitais da UE.

Os resultados mostram diferenças significativas entre capitais da União Europeia que varia entre os níveis de ruído, entre 31% e 82%.

Os moradores de Dublin são os que mais reclamam dos níveis de ruído percebidos atingindo 82% de insatisfeitos ou bastante insatisfeitos.
Pesquisas anteriores indicavam Helsínquia (81%), Luxemburgo (79%), Viena (78%), Riga (77%), Vilnius (76%) e Londres (75%).

A maioria dos habitantes europeus estão satisfeitos com os níveis de ruído.

 

Sono profundo ajuda a regular o açúcar no corpo

-
Noites mal-dormidas podem aumentar o risco de desenvolver diabetes, é o que indica a pesquisa da Associação Europeia para o Estudo da Diabetes.

Problema cada vez mais frequente na sociedade moderna, ter dificuldade em obter uma boa qualidade de sono pode perturbar o metabolismo da gordura e reduzir a capacidade de insulina para regular o açúcar no sangue.

Fases do Sono
O sono é dividido em fases, de acordo com as ondas cerebrais e relaxamento muscular. Na fase mais profunda, as ondas cerebrais são lentas e o relaxamento muscular é mais intenso. Nesse momento, o relaxamento muscular e diminuições do ritmo cardíaco e respiratório permitem a recuperação das energias.

Para chegar à fase de relaxamento, o corpo precisa passar por três etapas que vão preparando o organismo para a recuperação. Interrupções que podem tornar o sono superficial não permitem que se chegue ao estágio mais profundo.

A pesquisa
Para testar o impacto da qualidade do sono no controle do nível de glicose no sangue, nove homens e mulheres saudáveis foram monitorados por duas noites consecutivas para verificar seu padrão de sono normal.

Nas três noites seguintes, a equipe de pesquisadores os acordava com um ruído alto quando eles estavam para entrar em sono profundo. A quantidade total de sono que eles tinham a cada noite, porém, se mantinha a mesma.

Após injetarem glicose nos voluntários e medirem seus níveis de açúcar no sangue e a reação da insulina, os pesquisadores descobriram que oito deles haviam se tornado menos sensíveis à insulina.

Os especialistas concluíram que estratégias para melhorar a qualidade e a quantidade de sono deveriam ser consideradas como potenciais intervenções para prevenir ou retardar o desenvolvimento da diabetes do tipo 2 em grupos de risco.

Mumbai vai mapear a poluição sonora

map
Aumenta o número de reclamações sobre a poluição sonora em Mumbai – a cidade metropolitana mais populosa da Índia – e a BMC (Brihanmumbai Municipal Corporation), responsável pela infraestrutura cívica e administração da cidade irá mapear os níveis de ruído na região.

Nesta primeira fase, a BMC vai nomear um consultor que, além de medir os níveis de ruídos, irá sugerir formas de minimizar a poluição sonora. De acordo com a pesquisa realizada em 1.200 lugares, incluindo as áreas comerciais, as zonas residenciais estão lotadas, o que poderia afetar na saúde e o bem-estar dos cidadãos. O projeto também será realizado em locais destinados à educação, ruas, hospitais, estações ferroviárias, edifícios públicos, escritórios empresariais, lugares religiosos e de lazer.

“- O governo do estado já havia solicitado ao BMC algumas medidas concretas para minimizar a poluição sonora na cidade. Também planejamos desenvolver um software para mapear áreas barulhentas.”, informou o governo.

Através das normas existentes, via Central Pollution Control Board, os limites de decibéis permitidos em complexos residenciais durante o dia variam até 55 dB e 45 dB à noite, em estabelecimentos comerciais, é de 65 dB e 55 dB.

O projeto para estudar os níveis de ruído de Mumbai está previsto para ser implementado durante um período de 12 meses.

Jornada de trabalho com horários irregulares envelhece o cérebro precocemente

-

Trabalhar em horários considerados “alternativos” – noite e madrugada – ou com instabilidade na carga horária, pode envelhecer o cérebro prematuramente e diminuir a capacidade intelectual em até 6 anos.

Pesquisa realizada por cientistas das universidades de Toulouse (França) e Swansea (País de Gales) chamam a atenção para os males em se trabalhar contra o relógio biológico, que podem afetar a memória, além de outros problemas já conhecidos, que variam de câncer de mama à obesidade.

O relógio biológico humano é projetado para executar atividades durante o dia e dormir à noite, pessoas com escala de trabalho rotativa conseguiram restaurar o cérebro após cinco anos, melhorando o resultado em testes de memória, velocidade de pensamento e capacidade cognitiva.

“Houve uma perda significativa na função cerebral. É provável que as pessoas cometam mais erros e deslizes ao tentar executar tarefas cognitivas complexas. Talvez uma, em cem, cometa erros com consequências importantes, mas é difícil medir a diferença que isso faz no dia a dia”, disse Philip Tucker, que integrou a equipe de pesquisadores em Swansea.

Outras pesquisas afirmam que aposentados, que trabalharam no turno da madrugada, tinham um sono pior do que aqueles que nunca tinham trabalhado em horários insalubres. Os resultados das pesquisas podem ter implicações nos tratamentos de demência, conhecida por prejudicar os padrões de sono de forma semelhante ao trabalho por turnos.

Na sociedade moderna atual, o trabalho noturno é um “mal necessário” e os cientistas sugerem que check-ups médicos e testes de desempenho – para avaliar a capacidade de adquirir ou de absorver conhecimentos – sejam realizados regularmente.